Rota do Fado

Conheça os bairros típicos do fado e descubra lugares que vão ficar na memória.

Raul Nery

10 de Janeiro 1921 (Guitarista)


Estreou-se a tocar guitarra em público aos nove anos e aos 18 já o fazia ao lado de músicos consagrados. Acompanhou Amália em várias digressões pelo mundo, além de outros nomes importantes do fado. Em finais da década de 50 forma o Conjunto de Guitarras Raul Nery, constituído por quatro músicos excecionais: Raul Nery, José Fontes Rocha, Júlio Gomes e Joel Pina. É consensualmente considerado um dos maiores executantes da guitarra portuguesa.

Raquel Tavares

11 de Janeiro de 1985 (Intérprete)


Começou a frequentar as tertúlias fadistas muito cedo e embora não tivesse nascido em Alfama, assim que se emancipou foi neste bairro que fixou morada. Edita o seu primeiro disco em 2006, o que lhe valeu o prémio revelação "Amália Rodrigues". É identificada como uma intérprete tradicional do fado, mas o seu estilo de interpretação empresta-lhe uma frescura que o renova a cada verso que canta.

Severa

26 de Julho de 1820 - 30 de Novembro de 1846 (Intérprete)


Maria Severa Onofriana é uma figura mítica do fado. Celebrizou-se como Severa e é identificada como a primeira fadista de que há memória. O seu envolvimento amoroso com um fidalgo, o conde de Vimioso, também terá contribuído para a sua fama. Nascida no seio de uma família modesta, estabelecida no bairro da Madragoa, Severa sustentou-se na vida como meretriz e cantadeira. O local onde morou e veio a morrer, na Rua do Capelão, bairro da Mouraria, está hoje assinalado com uma placa em sua memória.

Tristão da Silva

18 de Julho de 1927 - 10 de Janeiro de 1978 (Intérprete)


Quando o contrataram para cantar pela primeira vez tinha apenas 9 anos. Desde então nunca mais deixou de perseguir o sonho de se tornar fadista profissional, algo que viria a concretizar-se aos 27 anos, quando dois fados o lançaram para o estrelato: "Nem às Paredes Confesso" e "Maria Morena". Ao longo da carreira participou em diversos programas de rádio e fez parte do elenco das mais célebres casas de fado. A sua voz grave e romântica cativou multidões.

Vicente da Câmara

7 de Maio de 1929 - 28 de Maio de 2016 (Intérprete; Compositor)


De origem fidalga, Vicente da Câmara deu continuidade à tradição do aristocrata-fadista, tal como outros membros da sua família. Teve um tio-avô e uma tia fadistas e um dos seus filhos, José da Câmara, também seguiu a mesma vocação. Além de um excelente intérprete do fado, também se afirmou como autor. O seu maior sucesso foi o fado "A Moda das Tranças Pretas".