Rota do Fado

Conheça os bairros típicos do fado e descubra lugares que vão ficar na memória.

Celeste Rodrigues

14 de Março de 1923 (Intérprete)


O fado corre nas veias desta fadista, irmã de Amália Rodrigues. Começou cedo a cantá-lo em rodas de amigos. Um dia, um empresário, proprietário de várias casas típicas, ouviu-a e decidiu fazer dela fadista profissional. Com o seu talento depressa se tornou popular. Cantou nas melhores casas de fado e chegou mesmo a ser proprietária de uma, a Viela. No auge da sua carreira artística, já com muitas tournées internacionais no currículo, foi convidada a gravar para a BBC de Londres. É uma das referências da sua geração.  

Cidália Moreira

1 de Janeiro de 1944 (Intérprete)


No caso de Cidália Moreira, a expressão "interpretação" aplica-se no seu mais puro sentido. Dona de uma voz poderosa, a fadista não se limita a projetá-la enquanto canta, interpretando cada verso com uma emoção que não deixa ninguém indiferente. Neste sentido Cidália é uma das artistas mais singulares do universo do fado. Tem um estilo inconfundível.

Ercília Costa

3 de Agosto de 1902 - 16 de Novembro de 1985 (Intérprete)


Foi a primeira fadista a internacionalizar-se junto das comunidades emigrantes. As suas primeiras gravações discográficas datam de 1929. Chamavam-lhe a "santa do fado" por ter o hábito de cantar de mãos postas. Popularizou temas como "Amor de Mãe", "o Meu Filho", "Juro", ou "Fado da Amargura".

Fernanda Baptista

7 de Maio de 1919 - 25 de Julho de 2008 (Intérprete)


Esteve no ativo até aos 87 anos, idade em que integrou o elenco de um espetáculo de teatro musical, género que foi uma constante na sua carreira. Foi nos palcos do "teatro de revista" – tipo de musical muito popular em Lisboa - que se afirmou como grande fadista, poderosa e com presença carismática.

Fernanda Maria

6 de Fevereiro de 1937 (Intérprete)


Herdou do pai o gosto pelo fado. Ao ouvi-lo cantar, como amador, para os amigos apanhou-lhe o jeito e acabou a dar os primeiros passos de uma carreira que a levou até aos principais palcos do mundo fadista. Em 1964 abriu uma das casas de fado mais afamadas, a Lisboa à Noite, onde atuaram alguns dos maiores artistas do meio. É dona de uma voz inconfundível.